1
couple, elderly, walking-6653517.jpg

GUIA COMPLETO SOBRE PLANEJAMENTO PREVIDENCIÁRIO

Hoje vamos conversar sobre organizar sua aposentadoria e evitar prejuízos financeiros.

  • O que é planejamento previdenciário?
  • Quanto custa um planejamento previdenciário?
  • Para que serve o planejamento previdenciário?
  • Como fazer um planejamento previdenciário passo a passo?
  • Como fazer o cálculo previdenciário?

Com a reforma da previdência houve muitas mudanças, assim é necessário fazer um planejamento com antecedência.

A sua aposentadoria é como uma construção de uma casa, não teremos um bom resultado se não planejar, é necessário ter várias etapas para ter uma casa aconchegante, bonita, bem construída e confortável.

Etapas de uma construção de uma casa:

  1. Primeiro fazer o projeto;
  2. Contratar pedreiro ou construtora;
  3. Arrumar o terreno;
  4. Fazer pesquisa de preço;
  5. Comprar material,

A construção de uma casa demanda tempo até ficar concluída.

Com a sua aposentadoria não é diferente tem que ser algo planejado, cuidado, organizado para você ter uma aposentadoria;

  1. Tranquila,
  2. Rentável
  3. Mais rápida,

Caso não organize com antecedência vai ter muita dor de cabeça.

Agora você entende a importância de ter um planejamento para atingir o objetivo que é uma velhice tranquila.

planejamento previdenciário é uma medida que visa trazer agilidade para você e reduzir os erros no pedido de sua aposentadoria.

O sistema previdenciário Brasileiro tem muitas regras é muito burocrático e complexo.

Com a reforma da previdenciária é necessário estar tudo organizado com o recolhimento das contribuições e com os documentos para conseguir a sua aposentadoria.

Também, é necessário que você saiba quais são os seus direitos e o que deve esperar da sua aposentadoria no INSS.

O que é planejamento previdenciário?

O Planejamento Previdenciário é um estudo completo realizado por advogados especialistas em Direito Previdenciário que analisam o seu histórico previdenciário com o objetivo de:

  1. Esclarecer todas as suas dúvidas sobre aposentadoria;
  2. Identificar a melhor regra de aposentadoria para você; e
  3. Indicar o que você pode fazer para antecipar ou aumentar a sua aposentadoria.

Podemos dizer que o planejamento previdenciário é uma fotografia do passado para projetar o futuro.

planejamento previdenciário também é um serviço de organização e de preparação pré-aposentadoria que visa a garantir que você tenha uma aposentadoria mais rápida e melhor.

É bom relembrar que o pedido de aposentadoria exige uma série de documentos e requisitos é importante estar alerta para todos eles.

Como a construção da casa é necessário dedicar atenção e organização extras para garantir uma aposentadoria de acordo com a lei e com aquilo que você deseja.

Assim, o planejamento permite que você prepare para o futuro, contribuindo para receber a aposentadoria que você planejou e deseja.

Isso quer dizer que não adianta você contribuir com um salário mínimo a vida toda e depois requer receber seis mil reais de aposentadoria.

Ou, ainda, contribuir com valores altos sem necessidade.

Quanto custa um planejamento previdenciário?

Atualmente você tem visto muitos comentários e publicações sobre planejamento previdenciário.

E deve estar se perguntando; quanto custa?

Primeiro vou te explicar que os advogados tem como orientação a tabela da OAB que fixa um parâmetro para cobrança de honorários, não quer dizer que o advogado tem que seguir à risca o valor estabelecido na tabela de honorários.

Porém, como existe essa orientação da OAB a maioria dos profissionais tem como base os valores indicados nessas tabelas.

A tabela de honorários advocatícios da OAB serve de referência para a cobrança da remuneração pelos advogados, ajudando a preservar a razoabilidade no valor dos serviços.

Cada estado adota uma tabela própria, e através do respectivo site, você pode consultar as tabelas.

A título de exemplo vou citar o valor do planejamento nos Estados de São Paulo, Distrito Federal e Rio de Janeiro.

Tabela do Estado de São Paulo a indicação de valores mínimos é R$ 2.623,99.

Tabela do Estado de Distrito Federal a indicação de valores mínimos é R$ 4.619,85.

Tabela do Estado de Rio de Janeiro a indicação de valores mínimos é R$ 3.618,93.

Com os valores acima descritos você tem mais condições de fazer uma programação para adquirir o seu planejamento previdenciário e garantir uma aposentadoria melhor.

Para que serve o planejamento previdenciário?

O planejamento previdenciário é indicado para as pessoas que:

Querem contribuir da forma correta

Querem garantir a melhor aposentadoria

Querem se aposentar no tempo certo;

Querem evitar problemas que podem atrasar aposentadoria;

Também é indicado para você que têm um problema previdenciário, assim advogado especialista pode ajudar a resolver de forma rápida e segura;

O planejamento também é muito importante para os profissionais que estão expostos a agentes nocivos à saúde, no caso dos profissionais da área saúde que podem solicitar aposentadoria especial.

Assim não adianta trabalhar em uma função que lhe garanta esse direito se você não tiver, em mãos, a documentação que o INSS exige para comprová-lo.

Essas situações são muito mais comuns do que você imagina.

Alguns trabalhadores não têm ideia do quanto é burocrático e complicado um pedido de aposentadoria que são exigidos diversos documentos e das informações que são necessárias para a concessão da aposentadoria por parte do INSS.

Além disso, outra situação comum é com relação ao valor da aposentadoria, que muitas vezes se paga um valor de INSS e não tem noção do valor que vai receber.

Você acha que vai receber um determinado valor de aposentadoria e, no fim, acabam recebendo um valor inferior, simplesmente por não terem se planejado.

Dessa maneira, a realização de um trabalho que antecede o pedido de aposentadoria é muito importante — o chamado planejamento previdenciário — facilita todo o processo e ajuda você obter o melhor benefício, dentro daquilo que você planeja e deseja.

O Planejamento Previdenciário inclui:

 

  1. Quando você pode se aposentar.
  2. Qual a melhor regra de aposentadoria para o seu caso.
  3. Quanto você pode receber na aposentadoria.
  4. O que fazer para aumentar a sua aposentadoria.
  5. Como pagar ou complementar contribuições em atraso.
  6. Análise de custo-benefício das futuras contribuições em diferentes cenários.
  7. Regularização de pendências no INSS.
  8. Quais os documentos necessários para dar entrada na aposentadoria.
  9. Planejamento Previdenciário por escrito.

Como fazer um planejamento previdenciário passo a passo?

Como já falei o planejamento previdenciário é um estudo preliminar que aponta quanto tempo que você ainda precisa contribuir para a previdência social a fim de ter direito à sua aposentadoria.

Além disso, esse estudo faz um cálculo que permite visualizar os valores dessas contribuições com o objetivo de definir qual será o montante recebido a título de aposentadoria.

Ou seja, é um cálculo, acompanhado de um estudo jurídico previdenciário, baseado no valor da contribuição e nas informações previdenciárias de você.

Dessa forma, o planejamento previdenciário permite que você visualize como será o seu futuro em termos de aposentadoria e que ações que devem ser feitas para atingir o seu objetivo.

Além disso, o planejamento contribui para a organização de documentos e a busca de informações, antecipando possíveis problemas e reduzindo o risco de negativas do INSS por ausência de documentos.

Vou explicar para você o Passo a Passo do Planejamento Previdenciário!

1º Passo – Análise do Período Contributivo

Inicialmente, é feito uma análise completa de todo o período contributivo, observando todos os detalhes do contrato de trabalho, preste atenção na data de contratação e data de fim, confrontando-as com as informações trazidas no CNIS.

2º Passo – Períodos Laborados e Não Pagos para o INSS

Havendo períodos laborados e não pagos para o INSS, verificamos a possibilidade de efetuar o pagamento de período não contribuído junto a Previdência Social, sempre com orientação de um advogado especialista.

3º Passo – Atividade Especial

Caso haja períodos laborados em atividade especial, verificamos a possibilidade do reconhecimento deste período, desde que, você comprove a atividade profissional nociva à saúde, através da apresentação dos Laudos Técnicos de Segurança do Trabalho (PPP e LTCAT).

4º Passo – Atividade Agricultora/Segurado especial

                Caso você tenha trabalhado como agricultor, pescadores, como segurado especial é necessário fazer a inclusão desses períodos no cálculo do INSS, pois com esses períodos você poderá antecipar a sua aposentadoria.

         Para comprovar a atividade rural é necessário juntar vários documentos que fiz post completo com a lista de 35 documentos rurais,

5º Passo – Simulações de Aposentadoria

Analisado o tempo de contribuição, é realizado as simulações de aposentadoria, utilizando as Regras Previdenciárias, anterior ou após a Reforma da Previdência.

6º Passo – O Valor da Sua Aposentadoria

No Planejamento você pode simular quanto deseja pagar a título de contribuição previdenciária para o INSS, entre 01 salário mínimo e o Teto Previdenciário.

Com isso, você saberá qual será o valor da sua aposentadoria, quando atingir os requisitos de cada regra previdenciária, além de saber o valor total do investimento que fará a título de INSS e imposto de renda.

7º Passo – Entrega do Parecer por Escrito

Por fim, é entregue um Parecer por escrito com todas as informações acima mencionadas, para que, possa ter clareza de como ficará seu benefício previdenciário quando se aposentar.

Além de poder escolher qual faixa de contribuição melhor se adequa a sua expectativa, sabendo que lá na frente evitará surpresas desagradáveis, pois, todo o seu histórico de contribuições estará pronto para o pedido de aposentadoria.

Documentos Necessários para o Planejamento

  • Cadastro Nacional de Informações Sociais (CNIS) – fornecido na plataforma do MEU INSS ;
  • Simulação de Aposentadoria – fornecido na plataforma do MEU INSS;
  • Carteiras de Trabalho;
  • Certidão de Tempo Militar, se houver (para homens);
  • Guias de Recolhimentos Previdenciários, carnê do INSS;
  • Se o trabalhador tiver períodos insalubres, deverá apresentar os Laudos Técnicos de Segurança do Trabalho: Perfil Profissiográfico Previdenciário (PPP) e Laudo Técnico das Condições do Ambiente de Trabalho (LTCAT);
  • Documentos rurais se tiver períodos como agricultor.

Como fazer o cálculo previdenciário?

cálculo previdenciário é feito com base no tempo de contribuição e nos salários contribuídos do INSS.

Com esses dados, é possível chegar ao resultado de quanto tempo você já contribuiu e se esse tempo é suficiente para se aposentar.

Além disso, você saberá quais são as aposentadorias em que se enquadra, ou seja, em qual delas já foram cumpridos todos os requisitos exigidos.

Assim, você consegue escolher o benefício que poderá trazer uma maior vantagem econômica.

Em outras palavras, qual regra terá o valor da aposentadoria mais alto.

Por fim, com o cálculo, é possível identificar quanto tempo ainda falta para contribuir e, assim, organizar tudo para encaminhar o seu benefício.

Como esse cálculo funciona?

Vamos entender como funciona a realização desse procedimento.

Como dissemos, o cálculo do INSS tem como base o tempo de contribuição e os valores pelos quais ele contribuiu para a Previdência Social.

As contribuições são aquelas realizadas de julho de 1994 em diante.

O próximo passo é identificar a quantia de tempo correta.

Isso se dá com a análise do CNIS, da carteira de trabalho e, se for o caso, das guias de contribuição.

Existem algumas atividades que podem fazer a diferença nesse cálculo, como se o segurado trabalhou em atividade rural, em atividade especial nociva à sua saúde ou se há alguma outra hipótese de  averbação de períodos de trabalhos e contribuição que não estão no sistema do INSS, como exemplo, a prestação de serviço militar.

Assim, identifica-se quanto tempo de contribuição você já possui, bem como, quanto tempo ainda é necessário para requerer o benefício de aposentadoria no INSS.

Chegar a esse número exato é extremamente importante, pois isso vai afetar o valor do benefício.

Por ser feito com os salários de contribuição, esse cálculo permite verificar a Renda Mensal Inicial da aposentadoria (RMI).

Ou seja, para que você já consiga identificar qual será o valor do seu benefício de aposentadoria.

Com a Reforma da Previdência, as dúvidas cresceram ainda mais quanto ao cálculo previdenciário, já que ela trouxe mudanças na forma como ele é realizado.

Após as mudanças na lei previdenciária, para calcular o valor do benefício é preciso considerar a média de todos os salários de contribuição, e não mais a média dos 80% maiores salários, excluindo os 20% menores como antes.

Atualmente, considera-se 100% dos salários de contribuição para chegar à média do valor do benefício, contados a partir de julho de 1994.

Importante lembrar que a Reforma da Previdência extinguiu a aposentadoria por tempo de contribuição, mas deixou as regras de transição e a aposentadoria por idade.

Assim, para os cálculos previdenciários, as aposentadorias são calculadas atualmente pela alíquota de 60% da média + 2% para cada ano de contribuição após o mínimo exigido.

A Reforma da Previdência eliminou o fator previdenciário, que é mantido na regra de transição da aposentadoria por tempo de contribuição do pedágio de 50%.

Os cálculos são minuciosos e levam em consideração informações que não são consideradas por simuladores online.

Ficou clara a importância do planejamento previdenciário para garantir maior segurança e evitando, inclusive, sustos ou dores de cabeça durante o pedido de aposentadoria.

Para relembrar o cálculo é realizado por meio da avaliação de todos os meses em que houve contribuição para o INSS.

Antes da Reforma da Previdência

A média, antes da Reforma da Previdência, era feita com base nesses 80% de maior contribuição.

O valor obtido é o valor estimado do benefício a ser recebido a título de aposentadoria.

Depois da Reforma da Previdência

Preciso te dizer que a forma do cálculo dos benefícios mudou com a Reforma da Previdência.

Para quem começar a contribuir depois da vigência dela ou quem ainda não cumpriu os requisitos até a sua entrada em vigor, vai ser feito a média de todos os seus salários a contar julho de 1994 ou a partir de quando você começou a contribuir.

Será aplicado um redutor a essa média e isso vai depender de quantos anos de contribuição você tem. Só a partir disso que você vai ter o valor exato do seu benefício.

Viu só como é importante fazer um planejamento, ainda mais com várias normas previdenciárias modificadas pela Reforma?

Em um planejamento previdenciário, você não precisa se preocupar com a realização de nenhum desses cálculos porque eles são feitos por profissionais que conhecem as regras legais e que vão avaliar o seu histórico, buscando o melhor valor de benefício possível.

Conclusão:

Ficou claro a importância do planejamento previdenciário para garantir uma aposentadoria melhor e mais tranquila, sem dores de cabeça.

No entanto, para você que ainda está em dúvida, ou quer entender claramente quais são as vantagens desse processo de planejamento, elenquei, a seguir, os três motivos básicos que justificam a realização de um planejamento previdenciário.

Confira!

1.     Aposentar-se no momento certo

2.     Contribuir com o valor correto

3.     Orientação para receber o benefício quando chegar a hora

Pensar na aposentadoria de forma preventiva e antecipar os possíveis problemas, buscando as soluções práticas e que estão ao alcance de você, é uma realidade que já vem sendo adotada por muitos brasileiros.

A cada dia, é mais comum encontrar pessoas que estejam buscando o planejamento previdenciário como uma ferramenta para a organização e a programação da sua futura aposentadoria.

Independentemente da idade, a aposentadoria é algo a ser pensado com bastante antecedência como já falei lá no início como a construção da casa.

Busque informações, pesquise, conheça os seus direitos, trilhe o caminho mais seguro para mantê-los, faça um planejamento previdenciário e aposente-se da forma como você sempre sonhou.

Se você gostou deste artigo sobre o planejamento previdenciário, nossa dica é que você assine a nossa newsletter e fique por dentro de outros posts e dicas que são interessantes para conhecer os seus direitos e conseguir a sua aposentadoria!

Compartilhe este conteúdo com seus conhecidos para eles ficarem sabendo das novidades.

Até breve

Daniela Rocha, advogada, OAB/RS 78.222, especialista em aposentadoria e benefícios do INSS, Instagram danielarochaadvogada, Whast 51-99850-8824. https://advogadadanielarocha.com.br/, https://api.whatsapp.com/send?phone=5551998505524&text=Daniela%20Rocha

Insira seu email abaixo e fique por dentro de todos novos posts que publicarmos!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fique por dentro das novidades!

Insira seu email e receba todas as novidades do nosso site: notícias, dicas, recomendações e muito mais!

× Como posso te ajudar?